Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Radar

Vendas de cosméticos caem 6.7% no Brasil de janeiro a setembro de 2015

Levantamento realizado pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) aponta que as vendas de janeiro a setembro de 2015 apresentaram queda real de 6,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A retração, que representa a primeira queda do setor em 23 anos, é causada por fatores como a instabilidade política e econômica que atinge o Brasil; a decisão do governo, tomada no início deste ano, de passar a cobrar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos distribuidores de cosméticos; a redução do poder de compra do consumidor e a crise hídrica, que afetou a venda de itens de higiene pessoal.

O nível de empregos do setor se manteve estável nos primeiros cinco meses do ano. Porém, com a diminuição no faturamento motivada pelo aumento do IPI e a alta previsão de alta do ICMS em 2016, foi registrada queda no emprego direto a partir de junho deste ano, chegando a 4,1% de retração em setembro, em relação ao mesmo período de 2014.

A ABIHPEC ressalta que o crescimento nos empregos diretos foi de 8,3% em 2011, 1,6% em 2012, 2,6% em 2013 e 2,2% em 2014.

© 2015 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Luxe Pack prepara sua segunda edição em Los Angeles e anuncia nova locação em Nova York

Luxe Pack prepara sua segunda edição em Los Angeles e anuncia nova locação em Nova York

Luxe Pack, a feira B2B dedicado a embalagens de luxo, retornará na Costa Oeste para uma segunda edição na Los Angeles em 27 e 28 de fevereiro de 2019. Como no ano passado, o evento será realizado em conjunto com a MakeUp em Los Angeles, a feira B2B de acessórios, tendências e formulação de produtos de maquiagem e cuidados com a pele. O (...)

+ informações
Palavra de especialista
Green, Clean... e o que mais?

Pascale Brousse
Green, Clean... e o que mais?

A força da nova tendência é visível. Para ser desejável, um produto deve ser green, clean e cool, de preferência seguindo os modelos de marcas Indie e DNVB [1]. Green - porque ser natural tornou-se um princípio de base para qualquer produto. Clean - porque a ausência de substâncias poluentes ou duvidosas é outro pré-requisito importante. Cool (...)

+ informações

Seções