Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Embalagem e design

Meio ambiente e embalagens de plástico: a Albéa frente ao desafio

No dia 28 de outubro passado, o Grupo Albéa, juntamente com vários clientes e parceiros, anunciou a assinatura do Compromisso Global por uma Nova Economia do Plástico, promovido pela Fundação Ellen MacArthur. O desafio é imenso: o Grupo compromete-se a tornar todas as suas embalagens de plástico reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis até 2025. A empresa também fixou como objetivo usar 10% de plásticos reciclados em suas embalagens até 2025. Para completar, comprometeu-se a adotar medidas para eliminar as embalagens de plástico que não forem indispensáveis ou que possam gerar problemas, e a implementar sistemas de reúso de embalagens "sempre que for a melhor solução". Gilles Swyngedauw, diretor de Marketing, Inovação e RSE, faz um balanço desse mergulho na "economia circular do plástico".

Gilles Swyngedauw, Albéa

Gilles Swyngedauw, Albéa

Premium Beauty News - Para os não iniciados, o senhor poderia explicar o conceito de economia circular do plástico?

Gilles Swyngedauw - O princípio da economia circular consiste em pararmos de criar, produzir e consumir de forma linear, obedecendo ao modelo "pegar, usar, jogar fora". Isso implica em reutilizar e reciclar tanto quanto possível.

No que se refere às instalações industriais, as fábricas precisam reduzir o consumo de energia, eliminar o descarte em aterros e reciclar o máximo possível de resíduos. Considerando especificamente as embalagens, o objetivo é continuar mobilizando ferramentas como ecodesign e análises de ciclo de vida para reduzir o impacto sobre o meio ambiente. Agora é hora de reforçar esse compromisso, criando embalagens reutilizáveis e recicláveis e incorporando materiais reciclados aos processos industriais.

O plástico vem sendo usado há décadas na fabricação de embalagens para o setor de beleza e, em muitos aspectos, pode-se dizer que é um material fantástico. Entre outras vantagens, o plástico permite criar as mais variadas formas, é mais leve e econômico, oferece melhor desempenho, protege melhor e é extremamente fácil de usar. A tendência é que essas vantagens sejam ampliadas, pois os progressos nessa área são constantes. As embalagens para produtos de beleza são belas, funcionais, eficazes e de alta qualidade, garantindo a conservação das fórmulas tanto quando o consumidor deixa o produto na prateleira do banheiro como quando transporta numa bolsa ou mala de viagem. Hoje, temos grandes desafios: fazer com que essas embalagens sejam sustentáveis e desenvolver uma economia circular eficaz para o setor de higiene e beleza. Isso significa que toda a cadeia de valor deve ser repensada, mas também todo o ecossistema da nossa sociedade, a fim de reforçar a coleta, a seleção e a reciclagem no final da vida útil.

Premium Beauty News - Efetivamente, o desafio parece imenso, principalmente porque é uma questão que interessa cada vez mais os consumidores.

Gilles Swyngedauw - Sim, e é justamente por isso que não temos tempo a perder. Transparência e responsabilidade se tornaram critérios indispensáveis na hora da compra. A RSE (Responsabilidade Social Empresarial) deixou de ser um simples bônus que o consumidor acha bacana. Além das vantagens evidentes para a sociedade como um todo, priorizar o desenvolvimento sustentável é bom para as empresas: 90% das pessoas interrogadas estariam dispostas a trocar de marca, dando preferência àquelas que apoiam causas sociais ou ambientais. Portanto, enfatizar o impacto positivo de um produto reforça a lealdade e a confiança, tanto por parte dos consumidores como dos funcionários.

Há quatro anos, a Fundação Ellen MacArthur reúne empresas e nações em torno de uma visão positiva: a economia circular para os plásticos. Juntos, a Fundação e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente decidiram dar impulso a essa dinâmica, lançando o Compromisso Global por uma Nova Economia do Plástico. A Albéa assinou esse compromisso e faz questão de honrá-lo plenamente.

Premium Beauty News - Por onde começar?

Gilles Swyngedauw - Como todo mundo sabe, desde 2002 a Albéa considera o desenvolvimento sustentável como um elemento central da estratégia da empresa. Por isso, graças a sua expertise em matéria de ecodesign e às análises de ciclo de vida, vem criando embalagens com menor pegada ambiental — reduzindo o volume de plásticos utilizados, desenvolvendo embalagens recicláveis e utilizando plástico reciclável (PCR) e de fonte renovável. Hoje, desejamos também contribuir ativamente para o desenvolvimento de uma economia circular eficaz no setor de higiene e beleza. Naturalmente, para que as embalagens possam ser recicladas, é necessário que sejam coletadas e encaminhadas aos centros de triagem. O fato de serem objetos geralmente pequenos dificulta um pouco esse processo. Além disso, estamos também buscando soluções baseadas no princípio de refil. Quanto aos plásticos propriamente ditos, é claro que precisaremos substituir os que não são recicláveis, trabalhando em estreita colaboração com os fabricantes.

Premium Beauty News - O senhor poderia dar exemplos concretos?

Gilles Swyngedauw - Exemplo é o que não falta. Um dos mais eloquentes é o Slim Cap + Thin-Wall. Acho difícil encontrar um tubo mais leve que ele. Projetada para ser mais compacta e ter um design diferenciado, a cápsula Slim, fabricada em polipropileno PP, é uma das mais leves do mercado. O peso total do tubo foi reduzido em 33% em relação a cápsulas e bisnagas normais. Isso representa o equivalente a 8,8 toneladas de plástico a menos para a produção de um milhão de Slim Cap + Thin Wall, gerando uma redução de 36 toneladas de CO2 em emissões. A título e comparação, isso equivale a 36 viagens de ida e volta entre Paris e Nova York para uma pessoa. Esses tubos são perfeitamente recicláveis pelas indústrias de PE/PP existentes, contribuindo para a economia circular graças à possível integração de material PCR (Pós-Consumo Reciclado, ou seja, plásticos que já tiveram uma primeira vida útil).

Vale lembrar que o plástico PCR utilizado em nossos tubos é fabricado a partir de embalagens de bebidas ou garrafas de leite que os consumidores usam e encaminham aos centros de reciclagem. A cada ano, a Albéa produz cerca de 33 milhões de tubos em PCR inteiramente recicláveis pelas indústrias de coleta existentes. Até as válvulas de espuma entraram na onda, com o desenvolvimento de uma solução que apresenta tampa, gargalo e botão inteiramente fabricados em plástico PCR.

Desde 2010, produzimos também tubos e garrafas em plástico derivado de fonte renovável. Trata-se de plásticos fabricados a partir de cana-de-açúcar proveniente do Brasil. A cana é um vegetal que consome grande quantidade de CO2 durante o crescimento. Assim sendo, a produção de um quilo de polietileno de fonte renovável absorve, ao todo, 3,09 kg de CO2, e a pegada de carbono resultante da fabricação de plásticos de fonte renovável é 76% inferior à de um tubo de plástico tradicional.

Outro exemplo, desta vez no setor de perfumes, é a nossa válvula recarregável "Spiral". Como ela é equipada com rosca, o frasco, além de recarregável, é reciclável. Em relação às válvulas com rosca de metal tradicionais, a redução da pegada de carbono é de 21%.

Para completar, temos a "My Style Bag", paleta injetada que utiliza um único material (polipropileno) e é composta por uma peça inteiriça, o que facilita consideravelmente a reciclagem. A paleta, que permite economizar cerca de 30% de plástico em relação às paletas tradicionais, é equipada com dobradiça maleável, facilitando a abertura e o fechamento. A "My Style Bag" pode ser usada para fórmulas compactas e emulsionadas, bem como para acessórios de maquiagem. A organização das divisões é inteiramente personalizável.

Muitos outros exemplos ainda virão: nossas equipes de P&D estão trabalhando a todo vapor, e é provável que surjam novos materiais. Evidentemente, nossa ação não se limita aos produtos. Paralelamente, criamos parcerias com o setor de reciclagem, não só na Europa como na Indonésia, onde as infraestruturas de coleta são muitas vezes escassas.

Premium Beauty News - As estatísticas mostram que as coisas não podiam continuar do jeito que estavam.

Gilles Swyngedauw - Exatamente. Como expliquei, o Grupo Albéa está consciente desse problema há muitos anos e vem agindo concretamente em favor do meio ambiente. O consumo de plásticos aumentou exponencialmente no mundo, acompanhando o crescimento da população, a urbanização e o maior acesso aos bens de consumo — e as embalagens fazem parte dessa evolução, naturalmente. É simplesmente impossível ficar de braços cruzados.

Premium Beauty News - Qual será o próximo passo da Albéa?

Gilles Swyngedauw - Recentemente, realizamos um estudo de materialidade do qual participaram não somente nossas equipes, como também nossos interlocutores externos — clientes, fornecedores, investidores, parceiros, etc. O objetivo era identificar os desafios materiais que todos considerassem prioritários para os próximos anos, em termos ambientais e sociais. Graças a essa análise, poderemos atualizar nosso plano estratégico de RSE. A ideia é estruturar os programas, fixar objetivos, avaliar os progressos e, sobretudo, divulgar esses resultados, com total transparência, por meio de um relatório não financeiro especificamente dedicado à RSE.

Para mim, a evolução dos consumidores, das empresas e dos governos em matéria de economia circular deve ser acompanhada por uma mudança fundamental em termos de modelo de funcionamento: precisamos trabalhar de mãos dadas, passar em revista toda a cadeia de valor, ampliar as fronteiras de nossa atuação, compartilhar as informações, os projetos e até as dificuldades, refletir coletivamente e buscar juntos as soluções. O estudo de materialidade e a publicação do relatório de RSE ilustram essa nova realidade. O desafio é imenso e diz respeito a todos nós, como colaboradores, cidadãos e pais de família. Estou plenamente convencido de que precisamos nos unir para vencer esses desafios.

Entrevista concedida a Jean-Yves Bourgeois
(Tradução: Maria Marques)

© 2018 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
MakeUp in New York se desloca ao Javits Center para continuar seu crescimento

MakeUp in New York se desloca ao Javits Center para continuar seu crescimento

A última edição da feira MakeUp no NewYork, o evento B2B dedicado à cadeia de valor da indústria de maquiagem, foi um grande sucesso, segundo os organizadores. O evento, realizado nos dias 11 e 12 de setembro de 2019 no Center415 na 5th Avenue, Manhattan, recebeu mais de 3.800 visitantes, com crescimento de 12% do número de visitantes (...)

+ informações
Palavra de especialista
Índia desponta como novo gigante do mercado de beleza

Asia Cosme Lab
Índia desponta como novo gigante do mercado de beleza

Graças ao crescimento de sua população jovem (atualmente a maior do mundo), ao aumento de sua classe média e à expansão do uso da internet tanto nas cidades como nas zonas rurais, a Índia está a um passo de se tornar o próximo gigante do mercado de beleza, seguindo o exemplo da China. A agência Asia Cosme Lab mergulhou no fascinante mercado (...)

+ informações

Seções