Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Ingredientes e fórmulas

"O uso de ingredientes cosméticos naturais requer novas ferramentas de rastreamento", afirma Nicole Giraud, da DNA Gensee

Criado há seis anos, o laboratório de biotecnologia DNA Gensee, que acaba de obter a certificação ISO 9001, oferece às empresas do setor de cosméticos um serviço de identificação das espécies vegetais presentes em matérias-primas, ingredientes e produtos acabados, a partir do estudo do DNA vegetal que eles contêm. Atualmente posicionado como líder no setor de cosméticos, o laboratório vem ganhando impulso com a crescente demanda relativa a ingredientes naturais e com as novas exigências em matéria de rastreamento e transparência que acompanham essa tendência. A seguir, Nicole Giraud, presidente da DNA Gensee, faz um panorama das atividades da empresa.

Nicole Giraud, presidente da DNA Gensee

Nicole Giraud, presidente da DNA Gensee

Brazil Beauty News - A questão da autenticidade das matérias-primas e dos ingredientes utilizados nos produtos cosméticos vem ganhando uma importância crucial. Como explicar esse frenesi pela análise da composição dos produtos?

Nicole Giraud – Sem dúvida alguma, o mercado de autenticação das substâncias usadas nos cosméticos vem registrando um crescimento significativo. Vários fatores contribuem para esse fenômeno: o uso crescente de ingredientes naturais, as exigências em matéria de rastreamento e segurança, bem como a busca por maior sustentabilidade. Juntos, esses elementos criaram para as marcas uma nova necessidade: oferecer mais visibilidade e transparência em relação a toda a cadeia de abastecimento.

O cenário legislativo também é um fator importante. A título de exemplo, as exigências do Protocolo de Nagoia sobre o acesso a recursos genéticos e a repartição justa e equitativa dos benefícios derivados de sua utilização implicam na necessidade de identificar com precisão a composição genética das plantas e dos organismos usados na indústria.

Diante desse cenário, a DNA Gensee oferece um serviço de análise baseado no estudo do DNA, garantindo a qualidade e a segurança dos suprimentos. Com o resultado em mãos, as empresas do setor de cosméticos dispõem de elementos factuais sobre a autenticidade dos insumos que compram. Para elas, a análise permite verificar que os ingredientes fornecidos correspondem às especificações do setor de P&D, possibilitando o controle da presença ou não de plantas que possam contaminar ou adulterar as fórmulas. Quando o abastecimento desses ingredientes é feito em ritmo regular – principalmente no caso da fabricação de perfumes, que requer matérias-primas de alto valor agregado –, o serviço que prestamos é também uma ferramenta importante de controle de qualidade. Fornecemos elementos científicos incontestáveis, e é disso que as empresas precisam.

Esse tipo de controle deixou de ser uma necessidade exclusiva dos departamentos de P&D e de Qualidade. No âmbito da política de RSE das empresas, os departamentos de Marketing e de Compras também podem solicitar o controle dos insumos entregues pelos fornecedores. Atualmente, até varejistas e negociantes têm solicitado controles.

Brazil Beauty News – Com que tipo de produto a DNA Gensee trabalha?

Nicole Giraud – Com todas as matérias-primas de origem natural, principalmente plantas e algas. Mas nosso trabalho não se limita às matérias-primas brutas – podemos também analisar produtos derivados, como óleos, por exemplo. A análise genética permite verificar a origem de um óleo e controlar eventuais adulterações. No caso do mel, a expertise que desenvolvemos permite identificar todas as plantas das quais as abelhas recolheram o néctar. O trabalho de análise pode ser feito inclusive com produtos acabados que tenham passado por um processamento industrial extremo, como shampoos.

Brazil Beauty News - Mas o interesse dessas análises não é apenas o controle de conformidade?

Nicole Giraud - Claro que não! Em muitos casos, a principal motivação é valorizar os produtos. O resultado das análises pode também contribuir para que uma empresa obtenha uma certificação ou melhore sua nota ambiental. A atividade da DNA Gensee é baseada na constituição de provas. A garantia apresentada pelo DNA pode também levar a um posicionamento mais alto no mercado, além de provar, para os clientes, a veracidade da composição descrita no rótulo dos produtos.

Brazil Beauty News - Quais são os limites dessas análises?

Nicole Giraud - O único limite é que só podemos trabalhar com produtos que contenham o DNA das plantas originalmente utilizadas. Se o processo de fabricação tiver destruído todo o DNA, será impossível efetuar a análise, a não ser que seja feita com produtos menos processados. Outra possibilidade é trabalhar com amostras coletadas nas diferentes etapas do processo industrial, a fim de descobrir onde, exatamente, o DNA ficou retido ou foi degradado. Os marcadores de DNA permitem caracterizar métodos não agressivos, que respeitam as matérias-primas utilizadas.

Cada vez menos, a questão dos custos representa um obstáculo, visto que eles têm diminuído visivelmente. Nos últimos seis anos, os preços foram divididos por três, graças aos progressos da tecnologia e à expansão dos mercados.

Graças à aquisição de um sequenciador de nova geração (NGS), hoje a DNA Gensee consegue analisar, simultaneamente, cerca de 350 milhões de sequências genéticas.

Entrevista concedida a Vincent Gallon
(Tradução: Maria Marques)

Portfólio

© 2018 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
FCE Cosmetique aposta em atrações tecnológicas para profissionais da indústria cosmética

FCE Cosmetique aposta em atrações tecnológicas para profissionais da indústria cosmética

A próxima edição da FCE Cosmetique será realizada entre os dias de 21 a 23 de maio de 2019, no São Paulo Expo, e apresentará as principais inovações e tendências tecnológicas para o segmento da indústria cosmética. Em 2018, a mais grande exposição de tecnologia para a indústria cosmética no Brasil atraiu mais de 16 mil visitantes, entretanto, (...)

+ informações
Palavra de especialista
“Fazer o bem para se sentir bem” e indústria da beleza

Laurence Bacilieri
“Fazer o bem para se sentir bem” e indústria da beleza

A experiência "Do Good, Feel Good" é uma velha conhecida dos psicólogos: quanto mais fazemos o bem à nossa volta, mais nos sentimos bem. Hoje, esse fenômeno ganhou o universo da beleza e, sobretudo, o planeta. Nos últimos anos, várias iniciativas filantrópicas marcaram os espíritos: por exemplo, a contribuição da Estée Lauder para o combate (...)

+ informações

Seções