Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Embalagem e design

Heinz-Glas investe no futuro

Carl-August Heinz, proprietário e CEO da Heinz-Glas, empresa alemã de fabricação de frascos de vidro, explica com detalhes os investimentos significativos feitos pelo Grupo em diversos países, em particular para a construção de uma nova fábrica em Xangai, na China, e para melhorar a qualidade e o desempenho da produção na América do Sul.

Carl-August Heinz, proprietário e CEO da Heinz-Glas

Carl-August Heinz, proprietário e CEO da Heinz-Glas

Brazil Beauty News - O senhor confirma que a Heinz-Glas produz não somente frascos de vidro como também embalagens de plástico, com um circuito de verdadeiramente internacional?

Carl-August Heinz - O vidro é, e sempre será, o nosso núcleo de negócio. Vale lembrar que atualmente empregamos cerca de 3.200 pessoas, repartidas em 5 fábricas de frascos de vidro e 12 outras unidades espalhadas pelo mundo: na Alemanha, é claro, mas também na Polônia, no Peru, na Índia, na Suíça, nos Estados Unidos e, em breve, novamente na China. O faturamento do setor de vidros, incluindo as operações de acabamento, representa atualmente 280 milhões de euros. Em relação à divisão de plásticos, dispomos de três fábricas que contam com cerca de 250 funcionários. Situadas na Alemanha, Suíça e Polônia, elas movimentam ao todo 30 milhões de euros.

Nosso posicionamento como fabricante de frascos para perfumes e cosméticos de luxo foi se reforçando ao longo dos anos, e hoje somos reconhecidos como especialistas pelas marcas de maior prestígio no mercado. Nesse setor, é preciso aprender a ser paciente. E, para responder à sua pergunta, sim, é verdade que temos uma presença verdadeiramente internacional. Dispomos de unidades de produção em praticamente todos os continentes.

Brazil Beauty News - Os investimentos da empresa estão sendo distribuídos por todas as regiões do mundo?

Carl-August Heinz - A cada ano, injetamos somas consideráveis em todas as nossas unidades. Em média, nos últimos 20 anos investimos mais de 12% do faturamento do Grupo.

Na Índia, onde temos uma fábrica de frascos de vidro desde março de 2017, vamos investir na criação de uma quarta linha de produção. O país, que está em vias de se tornar o maior mercado mundial de perfumes, vem registrando um crescimento exponencial.

Na Polônia, investimos nada menos que 38 milhões de euros em 18 meses, em particular para a construção de um novo forno a gás que alimenta 8 linhas de produção, entre as quais uma nova linha de 12 seções dedicada a perfumes e cosméticos. Para completar, dispomos também de um forno elétrico de duas linhas para vidro opalizado — uma raridade no setor.

No Peru, estamos constantemente melhorando a qualidade e o desempenho da produção para sermos mais competitivos no mercado brasileiro.

Na unidade de Kleintettau, na Alemanha, vamos construir um novo forno elétrico que oferece um funcionamento particularmente econômico em termos de energia. Ele estará operacional a partir de junho.

Brazil Beauty News - De que maneira a aquisição das operações de fabricação de frascos da Saverglass se encaixa na estratégia da Heinz-Glas?

Carl-August Heinz - A compra da divisão de frascos da Saverglass oferece a possibilidade de ampliarmos nossa carteira de clientes, bem como o leque de modelos de base que oferecemos. A operação está em perfeita sintonia com nossa ampla oferta de tecnologias para acabamentos, bem como de tampas e fechos de plástico adaptados aos frascos de vidro.

Brazil Beauty News - É verdade que a Heinz-Glas decidiu voltar à China, país de onde a empresa saiu em 2015?

Carl-August Heinz - Sim, estamos voltando e temos projetos muito ambiciosos para o país. Sem dúvida alguma, essa região está se tornando o maior mercado de consumo de produtos cosméticos e perfumes. Acabamos de adquirir um terreno de seis hectares, e até o final do ano a nova fábrica de frascos de vidro deverá estar operacional.

Brazil Beauty News - Os investimentos da empresa também cobrem as operações de acabamento?

Carl-August Heinz - A tendência atual do mercado aponta claramente para a busca por frascos mais decorados, com maior valor agregado. Isso é particularmente verdade para os flankers que as marcas usam para promover determinadas linhas de produtos, pois nesse caso a decoração é a principal forma de diferenciação. Portanto, a expertise em matéria de acabamento é essencial para nós — ela constitui um dos nossos maiores diferenciais e uma das nossas principais estratégias de desenvolvimento. Em todas as nossas fábricas de frascos de vidro, em particular na Polônia, no Peru e na Índia, o domínio e a aplicação das técnicas de decoração são serviços estratégicos.

Brazil Beauty News - E a divisão de plásticos nisso tudo?

Carl-August Heinz - Atualmente, estamos fazendo investimentos colossais (mais de 20 milhões de euros) no setor de injeção e sopro na Suíça, onde já estamos presentes, como todos sabem. Além disso, temos trabalhado muito no desenvolvimento de soluções ecológicas que utilizem materiais inteiramente recicláveis.

Brazil Beauty News - Os segmentos de perfumes e de cosméticos estão representados de maneira equilibrada no Grupo Heinz?

Carl-August Heinz - Sim. Embora os perfumes respondam atualmente por 75% das operações, o segmento de cosméticos vem ganhando terreno.

Entrevista concedida a Jean-Yves Bourgeois
(Tradução: Maria Marques)

© 2019 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
FCE Cosmetique aposta em atrações tecnológicas para profissionais da indústria cosmética

FCE Cosmetique aposta em atrações tecnológicas para profissionais da indústria cosmética

A próxima edição da FCE Cosmetique será realizada entre os dias de 21 a 23 de maio de 2019, no São Paulo Expo, e apresentará as principais inovações e tendências tecnológicas para o segmento da indústria cosmética. Em 2018, a mais grande exposição de tecnologia para a indústria cosmética no Brasil atraiu mais de 16 mil visitantes, entretanto, (...)

+ informações
Palavra de especialista
“Fazer o bem para se sentir bem” e indústria da beleza

Laurence Bacilieri
“Fazer o bem para se sentir bem” e indústria da beleza

A experiência "Do Good, Feel Good" é uma velha conhecida dos psicólogos: quanto mais fazemos o bem à nossa volta, mais nos sentimos bem. Hoje, esse fenômeno ganhou o universo da beleza e, sobretudo, o planeta. Nos últimos anos, várias iniciativas filantrópicas marcaram os espíritos: por exemplo, a contribuição da Estée Lauder para o combate (...)

+ informações

Seções