Será que as abelhas detêm a cura da calvície? © Sherjaca / shutterstock.com

Será que as abelhas detêm a cura da calvície? © Sherjaca / shutterstock.com

O material resinoso é usado pelas abelhas para selar os pequenos buracos presentes na colmeia. As propriedades antibióticas e fungicidas desta substância, eram conhecidas desde a mais remota antiguidade. De acordo com a equipe de pesquisa [1], própolis pode conter indicações importantes sobre como reverter a queda de cabelo em humanos. Uma descoberta anterior sugere que o própolis pode ajudar a estimular o desenvolvimento das células que contribuem para o crescimento do cabelo, e Ken Kobayaski e sua equipe ficaram curiosos em descobrir se poderia na verdade criar novos fios.

Proliferação dos queratinócitos

Eles prepararam seus camundongos raspando-os ou encerando-os, e em ambos os casos os pelos daqueles que haviam recebido a aplicação tópica de própolis cresceram mais rápido que aqueles nos quais não havia sido aplicada a cera. Outro detalhe importante: o número de células envolvidas no crescimento capilar aumentou após o própolis ter sido aplicado. "A própolis estimula o crescimento do cabelo, estimulando a proliferação dos queratinócitos de cabelo", concluíram os pesquisadores.

Princípios anti-inflamatórios

E embora o própolis tenha sido testado apenas em camundongos capazes de crescer pelo, em vez de camundongos pelados, a equipe de pesquisa destaca que a queda de cabelo muitas vezes é o resultado de uma inflamação. Devido ao fato de conter princípios anti-inflamatórios, os pesquisadores explicam que esperam que o própolis possa reverter a perda de cabelo, embora saibam que testes complementares são necessários.

A própolis estimula a proliferação dos queratinócitos de cabelo, de acordo com...

A própolis estimula a proliferação dos queratinócitos de cabelo, de acordo com o estudo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry.

O própolis, que também possui propriedades antifungais, era usado antigamente para combater inflamações e curar feridas.

O estudo foi publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry.