Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Radar

Natura &Co registra crescimento de 36% da receita líquida consolidada em 2018

A Natura &Co - que é proprietária das marcas Natura, Aesop e The Body Shop - registrou fortes resultados no 4º tri, com alta de 48,7% no lucro líquido. As vendas consolidadas do quarto trimestre de 2018 em base reportada tiveram aumento de 16,1%, atingindo R$ 4,3bilhões, com forte desempenho em seus três negócios.

Concentrado Drops of Youth

Concentrado Drops of Youth

Em todo o ano de 2018, a receita líquida reportada cresceu 36% em relação ao ano anterior, para R$ 13,4 bilhões, e a receita líquida ajustada (que inclui 12 meses da The Body Shop como se tivesse feito parte da Natura &Co em todo o ano de 2017) subiu 13,5%.

O lucro líquido reportado no quarto trimestre subiu 48,7%, para R$ 381,7 milhões. O resultado foi impulsionado pelo aumento do EBITDA e por menores despesas financeiras, mesmo considerando o contexto hiperinflacionário na Argentina e os custos de transformação da The Body Shop. O lucro operacional ajustado cresceu 2,9% no quarto trimestre, para R$ 542,4 milhões, e 17,3% no ano, em base pró-forma, para cerca de R$ 1,3 bilhão. A geração de caixa livre mais que dobrou, atingindo R$ 708,7 milhões, comparado a R$ 296,2 milhões no quarto trimestre de 2017, contribuindo significativamente para a desalavancagem da companhia.

"A Natura &Co encerrou o seu primeiro ano de existência com resultados fortes, comprovando que cada uma de nossas três marcas preserva a sua individualidade, ao mesmo tempo em que se beneficiam de ganhos de escala, recursos, compartilhamento de boas práticas e direcionamento estratégico do grupo", comentou o presidente-executivo do Conselho de Administração da Natura &Co, Roberto Marques.

Sede da Natura, em Cajamar (SP)

Sede da Natura, em Cajamar (SP)

A Natura apresentou o trimestre mais forte de sua história em receita líquida, atingindo R$ 2,7 bilhões, alta de 15,7% no quarto trimestre e 9,9% no ano, sustentado por fortes campanhas de Natal no Brasil e na América Latina. No Brasil, as vendas reportadas cresceram 12,9% no quarto trimestre, com ganhos contínuos em participação de mercado, superando o mercado em categorias-chave. O nono trimestre consecutivo de ganhos de produtividade por parte das consultoras também demonstrou o vigor do modelo comercial de Venda por Relações. Na América Latina, a receita líquida reportada aumentou 23,4% no trimestre e 23,1% em moeda constante, com desempenho muito forte no México, Argentina e Colômbia.

De acordo com a empresa, o plano de transformação da The Body Shop mostra resultados encorajadores. A sua receita líquida cresceu 11,2% em reais no quarto trimestre e 17,7% no ano. Em moeda constante, as vendas caíram 1,7%, impactadas pelo fechamento de lojas de baixo desempenho, parte de uma otimização da rede, e pela antecipação de pedidos feitos pelos franqueados em preparação para a campanha de Natal. No ano, as vendas aumentaram 1,7% em moeda constante.

A Aesop entregou mais um trimestre e um ano de crescimento notável, com receita reportada de 43,9% no quarto trimestre e um aumento de 50,6% no ano, com desempenho muito forte em todos os canais e regiões. A Aesop continuou seu processo de abertura de lojas, adicionando 18 nos últimos 12 meses, alcançando um total de 227 no final do ano.

© 2019 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Luxe Pack prepara sua segunda edição em Los Angeles e anuncia nova locação em Nova York

Luxe Pack prepara sua segunda edição em Los Angeles e anuncia nova locação em Nova York

Luxe Pack, a feira B2B dedicado a embalagens de luxo, retornará na Costa Oeste para uma segunda edição na Los Angeles em 27 e 28 de fevereiro de 2019. Como no ano passado, o evento será realizado em conjunto com a MakeUp em Los Angeles, a feira B2B de acessórios, tendências e formulação de produtos de maquiagem e cuidados com a pele. O (...)

+ informações
Palavra de especialista
Green, Clean... e o que mais?

Pascale Brousse
Green, Clean... e o que mais?

A força da nova tendência é visível. Para ser desejável, um produto deve ser green, clean e cool, de preferência seguindo os modelos de marcas Indie e DNVB [1]. Green - porque ser natural tornou-se um princípio de base para qualquer produto. Clean - porque a ausência de substâncias poluentes ou duvidosas é outro pré-requisito importante. Cool (...)

+ informações

Seções