Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Ciência e P&D

A ciência da pele e do cabelo na era da diversidade

A mais recente edição das Jornadas Jean Paul Marty, realizadas em Paris nos dias 4 e 5 de dezembro de 2018, explorou os aspectos científicos da virada inclusiva que o setor de cosméticos vem registrando no mercado global. O congresso, organizado sob os auspícios da SFC (Sociedade Francesa de Cosmetologia), teve como fio condutor o tema "A pele e os fâneros ao redor do mundo". Os 170 participantes analisaram a questão da diversidade da pele, dos cabelos e das unhas em todas as regiões do planeta, graças às 26 conferências e aos numerosos pôsteres apresentados.

Muitos modelos de pele já começaram a adaptar-se à diversidade dos fenótipos. (...)

Muitos modelos de pele já começaram a adaptar-se à diversidade dos fenótipos. (Foto: © Jacob Lund /shutterstock.com)

Embora a pele caucasiana ainda seja o principal objeto de estudo da maioria das pesquisas científicas, a evolução da população mundial vem reduzindo a sua prevalência, inclusive nas regiões economicamente mais desenvolvidas.

Atualização dos modelos de pele

Como explica Paul Matts, Research Fellow da Procter & Gamble, "em 2050 a pele caucasiana corresponderá a apenas 15% dos tipos de pele presentes no mundo. Com o acentuado crescimento das populações asiática e africana, daqui a alguns anos esses dois tipos de pele serão maioria. Por isso, devemos parar de considerar a pele caucasiana como a base de todas pesquisas científicas".

A necessidade de mudar esse paradigma é reforçada pelo fato de que as características da pele podem diferir muito de uma etnia para outra. A título de exemplo, um estudo realizado pela Procter & Gamble com 250 indivíduos de cinco grupos étnicos diferentes revelou que os indianos e os latinos apresentam uma quantidade maior de rugas que os demais grupos; por outro lado, as rugas dos indivíduos caucasianos costumam ser mais profundas, sendo, portanto, mais visíveis.

Muitas empresas já começaram a adaptar seus modelos à nova repartição entre as etnias. Um bom exemplo é o Centro Internacional de Desenvolvimento Farmacêutico (CIDP), sediado na Ilha Maurício, que criou um sistema de medição in vivo dos efeitos de substâncias poluentes em cada tipo de pele. "Os resultados mostraram que o efeito da poluição é maior nas peles caucasianas que nas peles africanas", relata Véronique Newton, coordenadora do laboratório de P&D do CIDP.

Paralelamente, a BASF desenvolveu um modelo in vitro relativo ao ciclo celular dos sebócitos, tendo realizado um estudo baseado nos sebócitos de populações asiáticas e afro-americanas. A experiência revelou diferenças significativas.

Durante o congresso, muitas outras questões relacionadas com unhas, cabelos e cílios foram debatidas sob o mesmo ponto de vista multiétnico.

Pesquisadores premiados

Como nos anos anteriores, a SFC, em evento paralelo ao congresso, premiou diversos pesquisadores por seus estudos científicos sobre a pele e os cabelos.

O prêmio Jovem Pesquisador foi atribuído a Laura Sabatier, da Universidade Paris-Sud, que demonstrou a correlação entre a forma do folículo piloso e a forma do cabelo: o estudo realizado por ela evidenciou, em particular, que quanto mais crespo é o cabelo, mais assimétrica é a estrutura do folículo.

Outro cientista homenageado foi o Dr. Marek Haftek, Diretor de Pesquisas do CNRS de Lyon, ele recebeu o prêmio da SFC pelo conjunto de seu trabalho, que muito contribuiu para ampliar os conhecimentos sobre a pele e as suas funções.

O tema da edição 2019 das Jornadas Paul Marty já foi definido: "Pele e Idade".

Régine Frick
(Tradução: Maria Marques)

Portfólio

© 2019 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
MakeUp in New York se desloca ao Javits Center para continuar seu crescimento

MakeUp in New York se desloca ao Javits Center para continuar seu crescimento

A última edição da feira MakeUp no NewYork, o evento B2B dedicado à cadeia de valor da indústria de maquiagem, foi um grande sucesso, segundo os organizadores. O evento, realizado nos dias 11 e 12 de setembro de 2019 no Center415 na 5th Avenue, Manhattan, recebeu mais de 3.800 visitantes, com crescimento de 12% do número de visitantes (...)

+ informações
Palavra de especialista
Tendência olfativa: o impacto de essências minerais

Aliénor Massenet
Tendência olfativa: o impacto de essências minerais

Substâncias sólidas, inorgânicas e cristalizadas, os minerais resultam de um processo geológico natural. No setor de perfumes, a mineralidade é um conceito subjetivo, pois não existe uma família mineral propriamente dita. Com facetas úmidas e salgadas, as notas minerais oferecem aos perfumistas uma nova maneira de expressar o frescor em suas (...)

+ informações

Seções