Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Radar

A segunda edição do MakeUp in São Paulo vai crescer

A segunda edição da MakeUp in SaoPaulo [1] vai crescer. “Não só porque todos os participantes da primeira edição estarão presentes nos dias 8 e 9 de dezembro, mas também porque vários novos expositores decidiram participar, entre os quais as empresas Ipel/Qualipac, Schwan Cosmetics, Cosmogen, Adhespack, Cosfibel.... E muito mais! Outras inscrições serão finalizadas este mês. A taxa de aumento em número de expositores entre 2014 e 2015 será superior a 30%,” diz Sandra Maguarian, diretora geral do evento.

O contexto geral de recessão econômica que ocorre atualmente após 30 anos de desenvolvimento contínuo deve permitir refletir a longo prazo tendo em conta os indicadores positivos e o surgimento de novas tendências.

O Brasil se posicionou em poucos anos com um dos líderes mundiais em vários segmentos do mercado da Beleza. Terceiro maior mercado de cosméticos, depois dos Estados Unidos e da China, o Brasil representa 9,4% do consumo mundial de cosméticos e ocupa o primeiro lugar no segmentos desodorantes, perfumes e produtos solares

Forte potencial de crescimento para a maquiagem

A cosmética é o setor industrial mais dinâmico do país, com um aumento três vezes maior que o do PIB. Dentro do setor higiene, perfumes, cosméticos (HPC), a categoria maquiagem permanece em terceiro lugar no consumo mundial e representa 7,7% do mercado brasileiro de cosméticos com uma distribuição homogênea das subcategorias (unhas 28%, lábios 24%, rosto 24% e olhos 24%).

De acordo com a Euromonitor, o segmento de produtos para os lábios aumentou de 300 para 830 M$, entre 2000 e 2014, 73% das brasileiras usam batom ou gloss. A categoria unhas experimentou a mais bela progressão, passande de 117 a 974 M$ no mesmo período. 71% das brasileiras usaram esmalte ao longo dos últimos seis meses. 571 milhões de unidades foram
produzidas em 2014. O segmento Rosto (base, blush) culmina a 817M$ em 2014,
com 150 lançamentos por ano. 34% das brasileiras procuram produtos que
hidratam a pele e 38% que sejam fáceis de aplicar. O rímel domina, com 38%, o
segmento olhos que representa 832M$, antes do lápis/delineado com 29% e as
sombras com 22%. 32% das mulheres brasileiras usam maquiagem regularmente (fonte Mintel).

A abertura para a variedade de produtos de maquiagem é recente para a mulher brasileira que ainda continua básica em seu consumo. A percentagem de venda é por enquanto inferior em relação a outros países e, muitas vezes limitada ao batom, aos produtos para as unhas e ao rímel. Isto sugere um potencial de crescimento interessante, desde que o consumidor seja introduzido num universo mais amplo.

Porque o Brasil é, e continuará sendo, nos próximos anos, um país com um grande potencial para a indústria de cosméticos. Ao invés de se envolver numa estratégia global apressada, as marcas brasileiras preferem fazer parte desta expansão e consolidar o seu lugar ao lado de uma presença internacional estimulante. Um desafio condicionado pela inovação e pelas tecnologias dos parceiros da indústria inteira,” conclui Sandra Maguarian.

Observações

[1MakeUp in SaoPaulo - 8 & 9 December, Centro de Convençoes Rebouças, Av. Rebouças, 600 - Pinheiros, São Paulo - SP, Brazil

Portfólio

© 2015 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

As feiras FCE Cosmetique e FCE Pharma, que aconteceram entre os dias 23 e 25 de maio de 2017, receberam 15.400 visitantes e registrou um crescimento de 9%, em comparação com o ano anterior. Na cerimônia de abertura, Geraldo Alckmin, o Governador do Estado de São Paulo, destacou os esforços do Governo para o desenvolvimento das (...)

+ informações
Palavra de especialista
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Laurence Bacilieri
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Nos Estados Unidos, o comércio varejista vem registrando uma queda contínua do faturamento. O setor está passando por profundas mudanças, com a falência de 3.500 lojas, sem falar nas dificuldades que têm enfrentado as redes Macys e Sears & K-Mart. A exemplo do setor bancário, os grandes protagonistas do varejo americano estão (...)

+ informações

Seções