Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Mercados e tendências

Produtos sem hidroquinona conquistam excelentes resultados no mercado americano

Em 2014, os produtos sem hidroquinona foram destaque no mercado profissional de cosméticos para a pele, em razão do ótimo desempenho registrado. Lançados por várias marcas importantes, eles impulsionaram as vendas no segmento de produtos específicos para hiperpigmentação e manchas causadas pelo sol, com resultados superiores aos do mercado como um todo. Essas são algumas das conclusões apresentadas no Professional Skin Care: U.S. Market Analysis and Opportunities, relatório recentemente publicado pela Kline & Company, empresa de consultoria e pesquisa de mercado com atuação internacional.

O Bright Skin Masque da Eminence Organics

O Bright Skin Masque da Eminence Organics

Embora a hidroquinona seja a estrela absoluta na composição dos produtos recomendados por dermatologistas para o tratamento de hiperpigmentação, seus efeitos colaterais são alvo de intensa controvérsia. Na Europa, a concentração máxima de hidroquinona autorizada é de 1%. Nos Estados Unidos, o uso desse ingrediente foi proibido em cinco estados: Nova York, Massachusetts, New Hampshire, Montana e Texas. Com todas essas restrições, os produtos de clareamento da pele que propõem alternativas ao uso de hidroquinona ganharam terreno em 2014.

Na comissão de frente dos produtos sem hidroquinona, a ZO Skin Health oferece diversas soluções: além do C-Bright 10% Vitamin C Serum e do BrightAlive Non-Retinol Skin Brightener, a empresa lançou recentemente o Brightamax, tratamento que pode ser aplicado no corpo todo. Ainda na ala dos "sem hidroquinona", o Lytera Skin Brightening Complex, da SkinMedica, foi responsável, em 2014, por um aumento significativo das vendas da marca. Outros produtos também merecem destaque nesse segmento, como o Bright Skin line, da Eminence Organics, o Nouvelle + Retinol correction cream, da Neocutis, e a linha Age Intervention, da Jan Marini, com os produtos Enlighten MD e Enlighten Plus.

Segundo Karen Doskow, diretora de Consumer Products Practice da Kline, "a geração baby boomer apresenta problemas de hiperpigmentação causados por uma série de fatores. O resultado é uma demanda crescente por produtos de clareamento da pele e de branqueamento tópico, bem como por tratamentos com laser e luz intensa pulsada, disponíveis em estabelecimentos especializados".

O Lytera Skin Brightening Complex, da SkinMedica

O Lytera Skin Brightening Complex, da SkinMedica

Segundo o relatório da Kline, as vendas de produtos para reduzir a hiperpigmentação representam quase 25% do mercado total de produtos de uso em domicílio e têm crescido mais rápido que as qualquer outro tipo de produto, ganhando até mesmo de tratamentos contra a acne e produtos anti-idade, por exemplo. O principal canal para a realização de procedimentos com produtos que reduzem a hiperpigmentação são estabelecimentos médicos, responsáveis por 70% das vendas como um todo. Esse tipo de estabelecimento oferece também o mais alto potencial para produtos profissionais para a pele, avançando com passos firmes para se tornar o principal canal de distribuição do segmento. Até 2019, as clínicas médicas deverão deixar para trás spas e salões.


Fonte: Kline & Company

Tradução: Maria Marques

© 2015 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

As feiras FCE Cosmetique e FCE Pharma, que aconteceram entre os dias 23 e 25 de maio de 2017, receberam 15.400 visitantes e registrou um crescimento de 9%, em comparação com o ano anterior. Na cerimônia de abertura, Geraldo Alckmin, o Governador do Estado de São Paulo, destacou os esforços do Governo para o desenvolvimento das (...)

+ informações
Palavra de especialista
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Laurence Bacilieri
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Nos Estados Unidos, o comércio varejista vem registrando uma queda contínua do faturamento. O setor está passando por profundas mudanças, com a falência de 3.500 lojas, sem falar nas dificuldades que têm enfrentado as redes Macys e Sears & K-Mart. A exemplo do setor bancário, os grandes protagonistas do varejo americano estão (...)

+ informações

Seções