Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Empresas e indústria

"O consumidor brasileiro quer mais diversidade" – Aude Genesté-Barera, da Jeanne Arthes

Jeanne Arthes, um dos principais fabricantes franceses de perfumes para mercados de massa, está presente no Brasil há 15 anos. O país representa atualmente 4% das vendas internacionais da empresa, posicionando-se como um de seus principais mercados. Entretanto, o acesso ao país ainda é dificultado pelo peso de taxas alfandegárias, impostos locais e barreiras comerciais. É o que explica Aude Genesté-Barera, diretor de Marketing, à Brazil Beauty News.

Brazil Beauty News - Os mercados internacionais representam uma porcentagem significativa das vendas anuais da Jeanne Arthes. Que importância tem o Brasil para a empresa?

Aude Genesté-Barera - Um dos principais objetivos da Jeanne Arthes é contribuir para que a expertise francesa chegue a todos os que apreciam um bom perfume, onde quer que estejam. Há 35 anos, o Grupo Arthes trabalha na mais pura tradição francesa: todas as nossas linhas de perfumes são desenvolvidas em Grasse, capital mundial do perfume, e são comercializadas por preços acessíveis. Os mercados estrangeiros correspondem atualmente a 80% de nosso faturamento anual. Promovemos e distribuímos nossos produtos em mais de 100 países e o Brasil ocupa o quinto lugar da lista, atrás da Europa (Alemanha, Espanha, etc.), do Japão, da Rússia e da Indonésia. O Oriente Médio também é um mercado importante para a empresa.

Brazil Beauty News - O Brasil tem a reputação de ser um mercado difícil.

Aude Genesté-Barera - Não há como negar que é um mercado extremamente complexo! As barreiras comerciais são grandes e o país tem marcas nacionais fortes. Os impostos e as taxas alfandegárias têm impacto considerável no preço de venda no varejo. O resultado é que nossos produtos são mais caros no Brasil do que em muitos outros países. Acredito, aliás, que o Brasil é o país onde o preço dos nossos perfumes é mais alto. Apesar desse problema, eles ainda são três a quatro vezes mais baratos que os perfumes importados de marcas de prestígio. Isso quer dizer que somos capazes de oferecer a qualidade de um perfume francês por um preço razoável e acessível. Nosso principal público alvo no Brasil é o mesmo que em outros países: adolescentes do sexo feminino, jovens mulheres e homens.

Paralelamente, existem diversos embargos técnicos e legislativos. O registro de um novo produto no Brasil pode durar uma eternidade, por isso o país é uma das nossas prioridades quando damos entrada em um processo administrativo.

Brazil Beauty News - Quais são as particularidades da demanda no Brasil?

Aude Genesté-Barera - O Brasil costumava ser um mercado de grandes formatos, com demanda considerável de frascos de 100 ml. Mas o consumidor brasileiro está mudando, e hoje a preferência vai mais para formatos menores e mais baratos. Isso não significa que as vendas estejam diminuindo em valor ou volume, mas simplesmente que os consumidores estão buscando maior diversidade. Com formatos menores e preços mais em conta, eles podem trocar de perfume com maior frequência.

Constatamos também uma preferência marcada por fragrâncias frutais, florais e leves. Praticamente não se vê aromas fortes de chipre, amadeirado ou couro no mercado. Entretanto, os consumidores brasileiros são ávidos por novos produtos. É importante – e relativamente fácil – lançar novas fragrâncias no Brasil; em contrapartida, o ciclo médio de vida de um produto é bastante curto. Nossas melhores vendas no país são Amore Mio Forever e Arome. Entre os perfumes masculinos, os mais vendidos são Cobra Man, Rocky Man Black e Caliber 12.

Brazil Beauty News - Como é feita a distribuição? É impressionante a rapidez com que o panorama do varejo no Brasil vem mudando...

Aude Genesté-Barera - As vendas diretas são um canal de distribuição importante no mercado brasileiro. Porém, além de exigir investimentos consideráveis, essa opção vem perdendo participação de mercado. Nossos produtos são comercializados em lojas tradicionais, como a rede Renner. Os principais concorrentes da Jeanne Arthes são fornecedores brasileiros de perfumes, como a Jequiti, e grupos internacionais, como a Coty.

Brazil Beauty News - Há pouco tempo foi lançada uma nova linha de produtos para banho e cuidados para pele com a marca Jeanne en Provence. Essa primeira experiência fora do segmento de perfumes foi um sucesso e a empresa vem investindo muito em ferramentas de desenvolvimento e produção. A nova linha será lançada no Brasil?

Aude Genesté-Barera - Temos certeza de que a marca Jeanne en Provence tem enorme potencial no mercado brasileiro. Porém, as barreiras comerciais são enormes também. É mais difícil registrar produtos de higiene e cuidados da pele do que perfumes. Além disso, precisamos estar atentos ao posicionamento no mercado. Não temos a intenção de produzir no Brasil, e o preço de venda dos produtos dessa linha são um fator determinante para o sucesso no país. Mais uma vez, nosso objetivo é fornecer aos mercados estrangeiros produtos cosméticos "made in France" por um preço acessível.

Entrevista concedida a Vincent Gallon

Portfólio

© 2014 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Centdegrés desenha o novo eau de parfum masculino de Eudora, Impression

Centdegrés desenha o novo eau de parfum masculino de Eudora, Impression

O recém lançado eau de parfum masculino de Eudora, Impression, fala de um homem sofisticado, que soube criar e aproveitar as oportunidades que a vida lhe deu para evoluir. Com notas amadeiradas e ambaradas, a fragrância é baseada em cistus labdanum, musk e patchouli. A Centdegrés foi escolhida para representar através do design do (...)

+ informações
Palavra de especialista
EUA: Varejo em festa no feriadão

Laurence Bacilieri
EUA: Varejo em festa no feriadão

Nos Estados Unidos, os resultados das vendas do fim de semana de Thanksgiving (24-27 de novembro) prometem deixar o varejo de excelente humor. Neste ano, 45% dos americanos já tinham começado a fazer as compras para as festas antes de 1° de novembro. Embora 79% dos comerciantes tivessem lançado descontos e promoções mais cedo que no ano (...)

+ informações

Seções