Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Embalagem e design

Indústria de embalagens recua 1,47% em 2014, mas exportações crescem 6,18%

Vidro foi a única categoria a registrar aumento, com acréscimo de 1,86% em volume.

Dados da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) indicam que o volume de produção do setor em 2014 registrou um recuo de 1,47%, com um faturamento de R$ 55,1 bilhões. Somente no quarto trimestre, a queda foi de 1,73% na comparação com 2013. Os números foram divulgados no Estudo Macroeconômico da Embalagem ABRE/FGV, realizado pela ABRE em parceria com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE).

Segundo o coordenador de análises econômicas do FGV/IBRE, Salomão Quadros, a performance do setor reflete o desempenho geral da indústria brasileira, que registrou queda de 3,23% no ano passado. "A produção de embalagens está mais voltada aos bens de consumo não-duráveis. Ela espelha a economia, mas de maneira mais suavizada e sem tantas oscilações”, firma Quadros.

Na classificação por material, vidro foi o único a registrar crescimento: 1,86% ante 2013. Os demais segmentos sofreram retração: madeira (-18,25%), plástico (-2,9%), metal (-1,04%) e papel/papelão (-0,70%).

Com volume total de US$ 860,1 milhões, as importações cresceram para as categorias de vidro (0,27%), plástico (1,84%) e madeira (1,41%), enquanto metal (-2,34%) e papel/papelão (-20,88%) recuaram. Já as exportações renderam US$ 523,2 milhões aos cofres brasileiros, com aumento em vidro (28,55%), metal (16,75%), papel/papelão (3,24%), madeira (2,77%) e recuo apenas em plástico (-1,59%).

Para 2015, a expectativa é que a retração se mantenha, com queda de 0,5% a 1,5% em volume da produção. Para Quadros, o fortalecimento da economia nacional e mundial pode fazer com que a indústria de embalagens retome o crescimento a partir de 2016.

© 2015 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Thermolat: novo ingrediente da Symrise tem ação aquecedora

Thermolat: novo ingrediente da Symrise tem ação aquecedora

O novo princípio ativo sensorial da Symrise proporciona uma suave sensação de calor sobre a pele, semelhante à de um raio de sol. Com o nome de Thermolat, ele foi desenvolvido para entrar na composição de cremes, géis e bálsamos e produz efeitos duradouros, com a vantagem de não provocar sensação de ardência ou queimação. "Comparado com o (...)

+ informações
Palavra de especialista
Lipotec combate o estresse urbano

Lipotec
Lipotec combate o estresse urbano

A vida moderna nos traz diversas vantagens e praticidades, como água corrente, eletricidade, automatização, medicina moderna e muitas oportunidades tanto na vida pessoal quanto na profissional. Mas também possui seus efeitos negativos como poluição, estresse, falta de sono, pouco contato com a natureza, etc. Desde a Revolução Indústrial (...)

+ informações

Seções