Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Empresas e indústria

Empresas brasileiras investem em cosméticos para barba e bigode

Depois do ‘boom’ das barbearias, cresce no país o número de marcas e produtos dedicados a este nicho.

Lumberssexual. A palavra pode não ter entrado para o vocabulário dos brasileiros ainda, mas vem fazendo uma revolução no setor de beleza masculina nos últimos anos. O termo faz referência ao “estilo lenhador” (do inglês ‘lumberjack’), com barba longa e espessa, cabelo despenteado e camisa de flanela para compor o visual. Apesar de não combinar perfeitamente com o clima tropical, os homens brasileiros aderiram à moda e o mercado enxergou aí uma oportunidade de empreender.

Samuel Tonin, co-fundador da Sobrebarba - Foto : André Bittencourt

Samuel Tonin, co-fundador da Sobrebarba - Foto : André Bittencourt

Primeiro foram as barbearias, que andaram praticamente esquecidas por décadas e voltaram com tudo, se espalhando rapidamente pelo país. De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), desde 2010, o número de estabelecimentos deste tipo aumentou mais de 500% no Brasil.

Simultaneamente, o mercado masculino de cosméticos caminha para a primeira posição no ranking mundial, segundo o Euromonitor International. Com um crescimento médio de 7,1% ao ano, o Brasil deve ultrapassar os EUA até 2019, com vendas estimadas em US$ 6,7 bilhões – e um cenário perfeito para empresas que investem em cosméticos para barba e bigode.

Samuel Tonin, publicitário (e barburdo há 10 anos), tinha dificuldade em encontrar produtos para cuidar de sua barba. Usava importados, que eram caros e demoravam para chegar ao país. Ele percebeu que não era o único, que este era um problema coletivo, e foi assim que surgiu a ideia da Sobrebarba, primeira marca brasileira de cosméticos voltados ao nicho.

Em 2014, junto da também publicitária Fernanda Kawazoe, ele iniciou uma pesquisa em redes sociais para conhecer hábitos e preferências dos homens de barba. Eles reuniram 20 mil seguidores, que puderam opinar no desenvolvimento dos produtos, desde a escolha das embalagens até as fragrâncias que seriam adotadas. “A pesquisa foi essencial para a criação da Sobrebarba”, diz Tonin.

Lançada em 2015, com um investimento de R$ 260 mil, a marca tem em seu portfólio xampu, balm hidratante e óleo para barba, além de cera de bigode e uma coleção de pentes de madeira fabricados manualmente, com dentes cortados um a um. “Os homens sempre usaram barba, porém nunca tiveram um produto pensado exclusivamente para eles”, explica.

Linha de produtos Sobrebarba

Linha de produtos Sobrebarba

Na sequência da Sobrebarba, outras empresas brasileiras estrearam no Brasil, como a Don Alcides, a Barber Shop e a Barba Urbana, que tem Ana Kascher como uma das proprietárias. “Observamos um mercado promissor e carente de marcas nacionais. Decidimos lançar uma linha de produtos competitiva, de qualidade, com preços acessíveis e agilidade na entrega”, afirma a sócia da marca.

Hoje, a Barba Urbana está disponível em cerca de 70 pontos de vendas de 11 estados brasileiros, que vão de barbearias a lojas de roupas, além de seu e-commerce. Kascher acredita ser viável a introdução dos artigos em redes varejistas, mas prefere agir com cautela. “Não adianta querer atender uma rede com 30 lojas e entregar ponto a ponto. A logística inviabilizaria o negócio”, explica.

A Sobrebarba, que atualmente comercializa os produtos em sua loja virtual, em barbearias e salões de beleza, almeja as prateleiras de supermercados e drogarias no futuro. “Já fizemos alguns contatos a respeito”, informa Tonin.

Questionados se a barba pode ser uma moda passageira e se não seria um risco apostar em um segmento tão específico, ambos são categóricos ao negar. “Não acreditamos no uso da barba como uma moda que vai e vem”, diz Tonin. “Empreender é um risco em qualquer setor, mas a barba superou muitos paradigmas e veio para ficar”, diz Kascher. “Costumo sempre dizer, a barba é da natureza dos homens. Eles só careciam de meios para poder cultivá-la com carinho”, acrescenta a empresária.

Renata Martins

Portfólio

© 2016 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

As feiras FCE Cosmetique e FCE Pharma, que aconteceram entre os dias 23 e 25 de maio de 2017, receberam 15.400 visitantes e registrou um crescimento de 9%, em comparação com o ano anterior. Na cerimônia de abertura, Geraldo Alckmin, o Governador do Estado de São Paulo, destacou os esforços do Governo para o desenvolvimento das (...)

+ informações
Palavra de especialista
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Laurence Bacilieri
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Nos Estados Unidos, o comércio varejista vem registrando uma queda contínua do faturamento. O setor está passando por profundas mudanças, com a falência de 3.500 lojas, sem falar nas dificuldades que têm enfrentado as redes Macys e Sears & K-Mart. A exemplo do setor bancário, os grandes protagonistas do varejo americano estão (...)

+ informações

Seções