Siga-nos twitter facebook
Edição: Brasil
Clique aqui para recebernossa newsletter gratuita cliquez ici
Mercados e tendências

Cerca de seis americanas em cada dez verificam a lista de ingredientes dos cosméticos

A leitura cuidadosa da lista de ingredientes, frequente na seção de alimentos do supermercado, chegou também às prateleiras dos produtos de beleza. O objetivo de tanto zelo é evitar determinados ingredientes. Segundo estudo recente realizado pela Harris Poll a pedido da marca de beleza natural Kari Gran, 59% das americanas analisam o rótulo dos produtos cosméticos antes de comprá-los.

O estudo "Green Beauty Barometer" [1] revelou que a grande maioria das americanas lê a lista de ingredientes antes de escolher o produto. Além disso, 40% dessas consumidoras têm a intenção de comprar mais produtos totalmente naturais.

As mulheres na faixa de 35 a 54 anos são as que mais verificam a lista de (...)

As mulheres na faixa de 35 a 54 anos são as que mais verificam a lista de ingredientes dos produtos cosméticos (65%). © lightpoet / shutterstock.com

"Nos últimos anos, as consumidoras começaram a prestar mais atenção nos produtos absorvidos pelo corpo por meio da alimentação. Em pouco tempo, acabaram ampliando esse cuidado para os produtos que elas passam no corpo", comenta Lisa Strain, cofundadora da Kari Gran, marca de cosméticos e maquiagem.

Evitar sulfatos e parabenos

Os sulfatos lideram a listas de ingredientes que as consumidoras procuram evitar (29%). Em segundo lugar estão os parabenos (22%), seguidos por perfumes sintéticos (18%), compostos de PEG (15%) e óleo mineral (11%).

As mulheres na faixa de 35 a 54 anos são as que mais verificam a lista de ingredientes dos produtos cosméticos (65%). Porém, as outras faixas etárias também mostram resultados expressivos: 63% das mulheres com 18-34 anos e 59% na faixa de 45-54 anos também costumam checar o rótulo. A população mais idosa (55-64 anos) foi a que demonstrou menor interesse, mas mesmo assim não fez feio: 52% das mulheres nessa faixa etária leem a lista de ingredientes.

Preferência natural

Em relação às perspectivas futuras, a pesquisa observou que as mulheres demonstram um nítido interesse por produtos de beleza naturais: 39% dos participantes afirmaram que comprarão mais cosméticos naturais nos próximos dois anos. A geração do milênio (18-34 anos) foi a que mais se mostrou interessada: 50% das pessoas declararam que pretendem consumir mais produtos de beleza naturais nos próximos anos. Nas demais faixas etárias, a população interessada foi de 44% (35-44 anos), 34% (55-64 anos), 31% (45-54 anos) e 30% (mais de 65 anos).

Interrogadas sobre em qual categoria de cosméticos é mais importante comprar produtos naturais, as mulheres citaram principalmente os cuidados para pele (54%), seguindo-se produtos capilares (49%), maquiagem (40%), perfumes (31%) e esmaltes para unhas (26%).

Segundo o estudo Natural Personal Care Global Series, publicado recentemente pelo instituto de pesquisa de opinião Kline, o mercado de cosméticos naturais cresceu 10,6% entre 2013 e 2014. Um outro estudo realizado pela Nielsen indicou que 46% dos entrevistados aceitariam pagar mais caro por um produto de beleza "totalmente natural".


V.G., com AFP/Relaxnews
(Tradução: Maria Marques)

Observações

[1O estudo "Green Beauty Barometer, encomendado pela marca Kari Gran à Harris Poll, foi realizado on-line nos Estados Unidos. Entre 1° e 3 de junho de 2015, 1.104 mulheres com idade mínima de 18 anos participaram do estudo.

© 2015 - Brazil Beauty News - www.brazilbeautynews.com

mais recentes
Foco
Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

Recorde de público marca edição 2017 da FCE Cosmetique e FCE Pharma

As feiras FCE Cosmetique e FCE Pharma, que aconteceram entre os dias 23 e 25 de maio de 2017, receberam 15.400 visitantes e registrou um crescimento de 9%, em comparação com o ano anterior. Na cerimônia de abertura, Geraldo Alckmin, o Governador do Estado de São Paulo, destacou os esforços do Governo para o desenvolvimento das (...)

+ informações
Palavra de especialista
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Laurence Bacilieri
O setor de Retail nos Estados Unidos: apocalipse ou evolução?

Nos Estados Unidos, o comércio varejista vem registrando uma queda contínua do faturamento. O setor está passando por profundas mudanças, com a falência de 3.500 lojas, sem falar nas dificuldades que têm enfrentado as redes Macys e Sears & K-Mart. A exemplo do setor bancário, os grandes protagonistas do varejo americano estão (...)

+ informações

Seções